Foodstyling

Acompanhe

Você colocaria veneno no seu prato? O Brasil coloca.

A ideia: 

Quando vemos um produto no mercado, com embalagens coloridas e chamadas atraentes, não pensamos que aquele produto pode estar cheio de defensivos agrícolas. A própria nomenclatura já nos leva ao engano: defensivo. Os agrotóxicos mais ofendem do que defendem. Na realidade é tudo veneno mesmo: 

Definição de Oxford Languages

veneno. substantivo masculino

  1. 1. qualquer substância, preparada ou natural, que por sua atuação química é capaz de destruir ou perturbar as funções vitais de um organismo.

Veneno é isso, é feito para destruir a vida. Destrói a vida das ervas e insetos que vivem nas plantações, mas destrói também as nossas vidas e a de quem trabalha nas lavouras. Os venenos agrotóxicos tem efeitos perenes nas plantas que atingem. Não basta lavar, não vai sair. Um estudo do IDEC publicado recentemente constatou resíduos agrotóxicos em diversos produtos industrializados, como bebidas de soja, salgadinhos, bisnaguinhas e biscoitos

E os efeitos destes venenos no corpo humano, por ingesta ou contato, são muitos e vão de distúrbios cognitivos, renais, danos ao DNA, cânceres diversos, alterações hepáticas e endócrinas e afetam até a saúde mental, podendo causar transtornos de ansiedade e depressão. Será o crescente número de casos de doenças mentais que vivenciamos está sendo também causado por nossa alimentação? 

O Projeto: 

Buscando criar conscientização sobre o assunto, aproveitei meu trabalho como produtora culinária e traduzi isso em imagens, colocando veneno nos alimentos de modo gráfico, direto e imagético. As fotos foram produzidas por mim com a ajuda da Paula Cinini (@thecookieshop) e foram clicadas pela fotógrafa Marina Melchers (@fotofotofoto). Abaixo, imagens do meu trabalho de conceituação e direção para o projeto:

Os venenos: 

Os tóxicos escolhidos para as fotos foram alguns dos venenos mais comuns que podemos encontrar em nosso dia-a-dia. O glifosato, altamente cancerígeno e presente em milhares de hectares de plantações de arroz, cana de açúcar, café, maçã, cítricos, milho, pastagens, soja, fumo, uva, ameixa, banana, cacau, nectarina, pêra, pêssego, seringueiras e até na água, para o controle de algas. É um agrotóxico amplamente utilizado no agro.

A naftalina, um repelente de insetos bastante comum e sabidamente tóxico (causa dores de cabeça, confusão mental, lesões no fígado, entre outros males), foi escolhida para este projeto por ser facilmente reconhecida como veneno, até pouco tempo seu uso doméstico era usual, e isso traz familiaridade e estranhamento ao ser associada aos alimentos.

O raticida (Brodifacoum) talvez seja o mais famoso dos venenos domésticos, sendo usado ilegalmente até contra a saúde humana. É um elemento anticoagulante e que causa falência do fígado. Foi escolhido para este projeto por sua cor rosa e formato de confeitos, o que me leva a pensar com assombro: e se uma criança tem contato com isso? 

Compra e descarte: 

Um dos fatos mais chocantes desde projeto, para mim, foi a facilidade com que consegui comprar estes venenos. Em poucos cliques, comprei os três tóxicos pela internet sem nem ao menos ter que mostrar minha idade. Bastou um login no site de compras e o pagamento. No dia seguinte estavam todos os venenos na minha porta, entregues pelo correio. 

Durante as fotos, usamos os equipamentos de segurança necessários e as fotos foram feitas ao ar livre, já que a naftalina sofre sublimação e espalha-se pelo ar. Ao final, todos os elementos da foto que entraram em contato com os venenos foram cuidadosamente embalados para descarte seguro. 

E essa foi a parte mais difícil deste projeto: o descarte dos venenos. As informações disponíveis na internet indicam devolver as embalagens dos venenos aos fabricantes, o que não era uma solução prática no meu caso, já que não comprei em uma loja e eu teria que enviar pelo correio, colocando mais pessoas em risco de contaminação. Depois de visitar 2 órgãos públicos no meu bairro e conversar com 6 pessoas fui instruída a descartar os resíduos tóxicos no hospital mais próximo, onde foram direcionados à incineração. Mas mesmo nos órgãos públicos os funcionários tiveram muitas dúvidas sobre o descarte. Caso alguma pessoa na mesma situação não tenha a paciência e preocupação que eu tive, é muito provável que acabe descartando produtos tóxicos em lixo comum, dada a dificuldade e falta de informação. 

Conclusão: 

Apesar de extremamente nocivo, o uso de agrotóxicos no Brasil é difundido e incentivado. Só no governo B*lsonar* foram liberados mais de 1.500 novos venenos no mercado e nas lavouras. É urgente encontrarmos formas de dar um basta ao envenenamento dos nossos alimentos, do meio ambiente e da população. 

Um bom começo é escolher produtos orgânicos e de agricultura familiar para seu consumo, mas ações de regulamentação na agricultora e na indústria são urgentes e necessárias. Esteja sempre atento, querido leitor, ao seu voto e posterior monitoramento das ações dos políticos eleitos. Estão indo a favor ou contra nossa saúde? 

As metades da laranja

Fabio Jr cantou e minha avó difundiu: existem as metades da laranja e cada um acha seu par. Essa ideia é muito bem aceita na área dos relacionamentos amorosos. Eu mesma acho uma farsa. Acho que em se tratando de amor, cada um tem que ser uma laranja inteira e se for para somar que seja para construir um pomar. Laranjas inteiras são fortes e juntas se multiplicam. Laranjas pela metade ressecam, mofam e morrem. Mesmo se grudadas uma na outra.

Mas só acho isso para o amor. No trabalho eu defendo a vó e lenda da laranja. Principalmente na minha área de atuação, que envolve senso estético, estilo e criatividade. Os clientes me procuram com ideias muito específicas e acham que sou a pessoa certa para executa-las. Às vezes eu sou, mas às vezes sei que aquilo não é minha praia (ou metade de laranja) e indico o trabalho para algum outro produtor(a).

Por isso não me ofendo e nem me avexo quando algum orçamento passa por mim e vai embora. Principalmente se o problema foi prazo, preço, disponibilidade de data. Se uma questão prática dessas faz o cliente escolher outro profissional fico feliz de ver ele achar outra metade de laranja, por que é sinal de que não se importava com meu trabalho e que qualquer laranja serviria. Quero do meu lado só quem valoriza, acredita e quer criar mais frutos. Minhas metades sabem quem elas são. : )

© Mixirica. Tudo nosso.

Back to Top